domingo, 24 de maio de 2009

Chico Xavier Responde: CAUSA E EFEITO

 

Chico_xavier

 

Como conciliar Carma com Misericórdia?

Quando temos dívida na retaguarda, mas continuamos trabalhando a serviço do próximo, a Misericórdia Divina manda adiar a execução da sentença de resgate, até que os méritos do devedor possam ser computados em seu benefício. Carma significa causa e efeito. Este princípio funciona para a extinção dos males praticados por alguém, mas também funciona na premiação do Bem que se faça aos outros. Tanto o Bem quanto o mal encontram as conseqüências felizes ou infelizes que lhes dizem respeito.
---------------------------------------------------------------------------------,


Dentro da Doutrina Espírita como se explicam, as mortes, assim aos milhares, em guerras, enchentes, em toda espécie de catástrofe?


São essas provações que coletivamente adquirimos do ponto de vista de débitos cármicos. Às vezes empreendemos determinados movimentos destrutivos, em desfavor da comunidade ou do indivíduo, às vezes operamos em grupo, às vezes, em vastíssimos grupos, e, no tempo devido, os princípios cármicos amadurecem e resgatamos as nossas dívidas, reunindo-nos uns com os outros, quando estamos acumpliciados nas mesmas culpas, porque a Lei de Deus é a Lei de Deus, formada de Justiça e de Misericórdia.
---------------------------------------------------------------------------------

Por que nascem crianças defeituosas, crianças retardadas? Há alguma relação com os pais?


Sim, na maioria dos casos, porque os pais possuem vínculos cármicos com o espírito renascente. Com freqüência, criaturas que foram compelidas à morte violenta por nossa causa ou à morte lenta por determinadas atitudes nossas, em especial as que recorreram ao suicídio, para se libertarem da nossa crueldade mental na Terra, não se afastam mentalmente de nós. Mesmo quando ausentes em Outros Planos da Vida, continuam vinculados a nós outros, particularmente quando não sabem exercer a faculdades do perdão. Essas criaturas habitualmente, reencarnam na condição de nossos próprios filhos. E a posição do Espírito, diante da vida fetal, varia muito, segundo a evolução de cada reencarnante ou segundo a tarefa com que venham ao nosso mundo. Há, também, vinculações de puro amor, possibilitando o renascimento da criatura necessitada de apoio em lares pertencentes a corações amigos que os recebem com extremada abnegação. Fora disso, o campo normal da reencarnação, temos a considerar os casos em que o Espírito, por méritos conquistados, tem o direito de escolher o corpo em que atuará sobre a Terra junto dos pais à cuja bondade e nobreza já se imanizam, quase sempre, desde muito tempo. Certos musicistas, por exemplo, ao reencarnarem, poderão merecer um sistema auditivo magnificamente organizado com o qual se lhe facilite o discernimento dos sons. Noutros aspectos isso ocorre com todos aqueles obreiros da cultura e do progresso, habilitados a influenciar milhares de pessoas. Esses já conquistaram o poder de selecionar os recursos de que farão o uso preciso na existência terrestre. Quando ao mais, a pergunta 344 e a respectiva resposta, contidas em "O Livro dos Espíritos" esclarece a questão da união da alma e do corpo, afirmando que essa união se dá na concepção e se completa no nascimento.
---------------------------------------------------------------------------------


Qual seria a explicação para o problema do nanismo?

A pessoa encarna sob essa condição, basicamente por duas razões: a primeira delas, a mais freqüente, porque praticou o suicídio em outra existência e a segunda por ter abusado da beleza física, causando a infelicidade de outras pessoas. O nanismo está particularmente ligado ao suicídio por precipitação de grandes alturas. O anão revoltado, em geral é o suicida de outra existência que não se conforma de não ter morrido, porque constatou que a vida é uma fatalidade e, mesmo desejando, não consegui-la. O corpo espiritual sofre, com esse tipo de morte, lesões que vão interferir no próximo corpo, prejudicando particularmente a produção de hormônios, daí a formação do corpo anão, e as diversas formas de nanismo, mais ou menos graves, segundo o comprometimento do espírito. Conheço mães e pais maravilhosos que têm aceitado a prova com coragem e amparados os filhos anões com muito carinho e dedicação. A explicação espírita através da Lei de Causa e Efeito e das encarnações sucessivas contribui bastante para a resignação perante a prova.
---------------------------------------------------------------------------------

Segundo alguns, cada um vem para ser rico ou pobre. Então, como se explica o que Jesus disse: "É mais fácil um pobre ir para o Céu do que um rico"?

Geralmente, quando uma pessoa nasce rica é porque escolheu esta prova para colocar a sua força de vontade e fé acima de qualquer interesse material. Como o espírito na erraticidade se sente capaz de cumprir tal compromisso, ou seja, de ser rico para bem empregar a riqueza e, no entanto, quando encarnado fica fascinado com as facilidades e o poder material que a riqueza proporciona, ele acaba por falhar em seus propósitos. Daí a afirmação de Jesus: "É mais fácil que um camelo passe pelo buraco de uma agulha, do que entrar um rico no Reino dos Céus".
---------------------------------------------------------------------------------


Porque existem pessoas aleijadas, outras miseráveis e outras ricas, Deus quer essas diferenças?


Todos os pontos citados são efeitos que deverão ter uma causa e se considerarmos que Deus é bom e justo, justa portanto há de ser esta causa. Quando uma pessoa nasce com defeito físico, geralmente o órgão afetado já foi causa de sua falência espiritual, ou seja, deve tê-lo utilizado mal. Assim, poderá voltar com aquele mesmo órgão lesado para expiar as faltas cometidas; é a Lei de Causa e Efeito. Se uns nascem ricos e outros pobres, o objetivo é para ver o desempenho da pessoa numa e noutra condição. E, assim vamos sendo testados através das diversas encarnações e crescendo espiritualmente para que cresçamos com as nossas próprias experiências.
---------------------------------------------------------------------------------

Como aceitar que uma pessoa portadora de lepra ou leucemia, tenha essas doenças por merecimento?

No dia-a-dia, o vocábulo merecimento é utilizado de forma jocosa ou depreciativa. É comum ouvir-se: "Ela tem o marido que merece!" Na visão espírita, o termo merecimento representa uma atenuante de nossas penas ou expiações, ou mesmo de nossos sofrimentos. As doenças mencionadas são "provas" que nós mesmos escolhemos, ainda no Plano Espiritual, com o intuito de quitarmos nossos débitos.
---------------------------------------------------------------------------------


Sou epilética, sei que se trata de uma dívida espiritual, mas há possibilidade de cura, pois tomo remédio controlado e quero muito ficar boa. A caridade poderá curar-me, além da fé em Deus?

Sobre os desígnios Celestes não podemos nada afirmar, pois sabemos que as Leis Divinas regem nossa evolução. Porém, a caridade, com certeza, nos auxilia no aprendizado e no resgate de grande parte do nosso débito. Essa caridade, aliada à Fé e à reforma íntima, só podem ajudar a acelerar a passagem pelo processo. E quanto ao aspecto físico, o caminho está correto, o auxílio médico é essencial. Lembremos que a doença do corpo físico pode significar a cura do espírito e procuremos continuar trabalhando com amor na Seara do Pai.
---------------------------------------------------------------------------------


O perdão realmente existe? Então, porque existe o carma?


Uma das grandes virtudes buscadas pelo espírito, o perdão que parte do coração, manifestado com o completo esquecimento das ofensas, é digno das almas evoluídas. A lógica do espírita é simples: a própria pessoa que sofre pede a Deus a chance de reencarnar na Terra e passar por aquela provação para assim se livrar de um débito cármico, ou seja, algum mal praticado em vidas passadas que precisa ser expiado para que o espírito volte a ter paz. Nessa linha de entendimento, ensinamos-nos os Espíritos que o arrependimento concorre para melhoria do espírito, mas ele tem que expiar o seu passado.
---------------------------------------------------------------------------------


Fontes:
Questões 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9, do livro "Chico de Francisco" - Editora CEU, do livro "Dos Hippies dos Problemas do Mundo" - Editora LAKE, do livro "A Terra e o Semeador" - Editora IDE, do livro "Lições de Sabedoria - Editora FEB e do livro "Plantão de Respostas - Editora CEU.

4 comentários:

SAULO PRADO disse...

É sempre bom ler estas lições que nos mostra a maginetude de Deus...

Um abraço e parabéns por este lindo trabalho!!!

nelio disse...

Graças a DEUS e a doutrina Espírita que nos esclarece e consola.Peço a DEUS e JESUS para que todos os irmãos do caminho independente de seu credo religioso possam receber as vibrações de PAZ E LUZ. Nélio Abreu.

claucarv.37 disse...

Como podemos acreditar em espíritos de pessoas mortas querendo nos ajudar, se a bíblia afirma categoricamente q os mortos não tem acesso aos vivos e q eles em nada podem nos ajudar? E
a bíblia ainda afirma q cabe aos homens morrerem uma só vez.

claucarv.37 disse...

Respeito a doutrina de Cardec e vejo até lógica nela, mas qto mais eu leio e estudo a bíblia, mais eu percebo a distância q existe entre ela e a doutrina de Cardec. Tanto no antigo testamento qto no novo, a idéia de consultar mortos, rencarnação e outras...são totalmente refutadas. Acho louvável a intenção de fazer o bem e a caridade, mas qto as histórias da bíblia, ignoraremos?